Últimas Notícias

França removerá lei que proíbe almoços à mesa

“Nós, franceses e vocês, americanos, temos ideias totalmente diferentes sobre o trabalho”, disse Agnès Dutin, uma tradutora aposentada, enquanto carregava uma sacola com seus produtos do mercado de domingo. “É uma catástrofe trabalhar em sua mesa. Você precisa de uma pausa para refrescar sua mente. É bom movimentar o corpo. Quando ele retorna, ele vê as coisas de forma diferente. “

Comer na França, independentemente dos avanços do fast food, ainda é uma experiência social, e não apenas uma questão de comida. É um encontro agradável, ao qual se dedica grande parte da vida.

No país que deu ao mundo a semana de 35 horas, embora muitas vezes evitado, o hábito americano de almoçar no balcão é visto como uma indicação sinistra de um mal-entendido sobre o equilíbrio adequado entre vida pessoal e profissional.

“Você só tem uma vida”, comentou a Sra. Dutin.

Restrições pandêmicas têm sido particularmente difíceis para proprietários de restaurantes. Alguns sugeriram a abertura desafiando a ordem do governo, levando o ministro da Economia francês, Bruno Le Maire, a alertar que tal insurreição levaria à perda de apoio financeiro do governo durante a pandemia.

A revisão da legislação trabalhista para flexibilizar as contratações e demissões na França e, de maneira geral, cortar a regulamentação, tem sido um dos pilares fundamentais da presidência de Emmanuel Macron. A mudança contribuiu para uma queda significativa no desemprego, que era de cerca de 10% antes de ele assumir o cargo.

Macron optou por não impor um terceiro bloqueio, apesar da continuação da virulência da pandemia, mas seu governo reforçou as medidas para conter o vírus no local de trabalho, insistindo que as empresas favoreçam o trabalho remoto sempre que possível. Mantenha os funcionários a pelo menos dois metros ou cerca de um metro e meio de distância se vierem ao escritório, e agora permitindo que os trabalhadores comam em suas mesas.

Não está claro quantos franceses já estavam fazendo isso. A globalização, ou simplesmente americanização, também afetou a França. Mesmo assim, a decisão do Ministério do Trabalho foi um desvio.

Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo