Últimas Notícias

Presidente argentino faz teste preliminar de vírus positivo apesar da vacinação

BUENOS AIRES – O presidente da Argentina, Alberto Fernández, teve primeiro teste positivo para Covid-19 e aguarda o resultado de uma análise mais precisa para saber se ele contraiu o coronavírus apesar de ter sido vacinado no início deste ano.

Senhor fernandez enviou uma série de tweets Ele disse na manhã de sábado que fez um teste rápido de antígeno depois de sofrer uma “leve dor de cabeça” e febre de 40 graus.

O presidente, que recebeu o resultado do teste em seu aniversário de 62 anos, disse que ficará isolado enquanto aguarda o resultado do mais rigoroso teste de PCR.

“Estou fisicamente bem e, embora tivesse gostado de terminar meu aniversário sem essa notícia, também estou de bom humor”, escreveu o presidente no Twitter.

O que diferencia Fernández desses líderes é que ele parece ser o primeiro a testar positivo para Covid-19 depois de ser totalmente vacinado.

Fernandez recebeu a primeira dose da vacina Sputnik V da Rússia em 21 de janeiro e a segunda dose em 11 de fevereiro.

O Instituto Gamaleya da Rússia, que desenvolveu o Sputnik V, desejou o melhor ao presidente, dizendo que embora a vacina tenha uma taxa de eficácia de 91,6 por cento, é totalmente eficaz na prevenção de casos críticos.

“Se a infecção for confirmada e ocorrer, a vacinação garante uma recuperação rápida e sem sintomas graves”, o instituto escreveu em nota no Twitter. “Desejamos a ele uma rápida recuperação!”

A notícia do resultado do teste de Fernández chega logo depois que a Argentina estreitou suas fronteiras em meio a um aumento nas infecções por Covid-19. Vários de seus países vizinhos, especialmente o Brasil, estão vendo um aumento acentuado de casos à medida que novas variantes mais contagiosas do vírus invadem a região.

A Argentina cancelou recentemente todos os voos diretos com o Brasil, Chile e México em um esforço para bloquear as novas cepas.

A Argentina foi o primeiro país latino-americano a aprovar o uso da vacina Sputnik V no final de dezembro, mas as inoculações em massa estão demorando mais do que o governo havia previsto inicialmente em meio à escassez global da vacina. Ele também administra a vacina Sinopharm da China e Covishield, a versão indiana da vacina AstraZeneca.

Dos 45 milhões de habitantes do país, 683.771 receberam duas doses de vacinas e um total de 4,18 milhões de doses foram injetadas.

A Argentina disse em 26 de março que atrasar a aplicação da segunda dose da vacina Covid-19 por três meses em um esforço para garantir que o maior número possível de pessoas receba pelo menos uma dose. O país relatou quase 2,4 milhões de infecções por Covid-19 e mais de 56.000 mortes.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo